História

Em meados do século XIX a Fazenda São Bento era uma grande produtora de café da região de Atibaia.

Sua casa sede foi construída toda em taipa de pilão, com janelões e portas de madeiras nobres, como pinho de riga e canela. Grandes palmeiras imperiais foram plantadas nos seus jardins, símbolo de status para a cultura da época.

A sua produção de café foi encerrada por volta de 1911, como consta na inscrição do antigo túnel de café por onde passavam os grãos até atingirem os terreiros para secagem.

A Fazenda São Bento foi comprada por um empreendedor e foi loteada em 1986.

Em 1987, a casa sede da fazenda foi comprada pela atual proprietária e toda uma obra de restauração foi feita desde então com o máximo cuidado para manter a arquitetura colonial.

Com esse diferencial começou a ser escolhida para matérias de revistas, cenário de novela e ensaios fotográficos.

No ano de 1999 foi realizado um belíssimo casamento de um familiar da proprietária, o que despertou a ideia de abrir o local para realização de eventos.

Por 15 anos (2006 a 2020) a Vivenda Colonial foi um espaço para eventos aconchegante e descontraído, onde foram realizados vários casamentos, bodas, renovação de votos de casais muito especiais que fizeram parte da nossa história.

Atualmente estamos de portas e braços abertos para receber a todos com um restaurante e espaço para eventos diferenciado com uma proposta de releitura de pratos clássicos.

A culinária brasileira é muito rica e diversificada, ela foi criada da união de várias culturas, portuguesa, indígena, africana que foi enriquecida pela vinda de imigrantes italianos, espanhóis, libaneses que aqui chegaram nos séculos XIX e XX.

Pode-se dizer que a culinária brasileira nasceu na Bahia. Ao ler a carta de Pedro Vaz de Caminha, podemos imaginar o primeiro cardápio genuinamente brasileiro que consistia em: presunto defumado e cozido, fartél (massa doce feita de farinha de trigo ovos e açúcar) e vinho contribuição dos portugueses além de peixes, camarões, inhame, palmito incluído pelos índios. O inhame originalmente da África, era a nossa mandioca que os portugueses ainda não conheciam. O dendê veio depois com os escravos africanos. Já a pimenta da costa da Malagueta (Libéria), ensina-nos Câmara Cascudo, os portugueses já a comercializavam muito antes de 1500, mas batizaram a nossa pimenta de malagueta.

No nosso restaurante você irá saborear uma comida deliciosa, baseado em memórias da cozinha afetiva, que pode começar pelo cheiro, envolver o tempero, e trazer lembranças que são refletidas em nosso cardápio muito especial.

Esperamos por vocês para saborear nossa comida e saber ainda mais da nossa história!!!

História da Vivenda Colonial